Sessão Nostalgia CVC Chevrolet: 20 anos sem Opala

Em 2012 completou-se 20 anos que o modelo Chevrolet Opala parou de ser fabricado. Para homenagear o saudoso Opala vamos fazer duas matérias especiais para ele no Blog da CVC Chevrolet.

 O modelo que também é chamado de Opalão pelos “íntimos” já foi carro de presidentes e altos executivos e por muito tempo foi sinônimo de alto luxo no Brasil. Sempre foi imponente e entre seus modelos famosos temos o Gran Luxo, Diplomata e Comodoro. O Opala chegou a ser o veículo mais caro do mercado nacional.

Além disso já foi modelo de competição em corridas de Stock Car e foi o veículo envolvido em um episódio marcante da história do país, o acidente que matou o ex-presidente Juscelino Kubitschek. Com uma ‘linha do tempo’ recheada de histórias interessantes o Opala ainda é a paixão de diversos colecionadores e integrantes de clubes de carros antigos.

Ele foi o primeiro carro a ser fabricado na unidade São Caetano do Sul. O modelo foi produzido no Brasil por 24 anos e mais de 1 milhão de Opalas foram fabricados.

O Chevrolet Opala é realmente paixão nacional, a procura dos colecionadores por Opalas antigos aumenta o valor dos carros que ainda possuem bom estado de conservação. É possível encontrar Opalas sendo vendidos por até R$ 30 mil, valor maior que os modelos de entrada da maioria das montadoras. Além disso há muitas dificuldades em encontrar peças originais e assim infelizmente aumentam os índices de roubos de Opalas, refletindo também no valor do seguro do carro.

 Linha do tempo – Uma breve história do Opala
1968 – O Opala foi lançado oficialmente na abertura do VI Salão Internacional do Automóvel, em São Paulo, no dia 23 de novembro de 1968. Uma grande festa foi preparada e o carro apareceu pilotado pelo piloto inglês de Fórmula 1, Stirling Moss, acompanhado de oito belas misses brasileiras.

1969 – O veículo foi lançado e ficou disponível para comercialização nas versões Opala e Opala de Luxo, com quatro portas e motores de 4 ou 6 cilindros, com o assento dianteiro interiço (permitindo seis passageiros no interior do veículo), câmbio junto ao volante e o freio de mão sob o painel.

1971 – Novas versões foram desenvolvidas nos anos seguintes. O Opala cupê apareceu em 1971, seguido pelo Opala SS (Separated Seats, ou seja, assentos separados), de 1970, dividia o assento dianteiro e dava um toque mais esportivo para o carro. O carro foi sendo reestilizado nos anos 70, com a chegada do Opala Comodoro para substituir o Gran Luxo, e o esportivo 250S, com motor de 153 cavalos.

 1979 – Em 1979, o Opala entrou como carro oficial das corridas de Stock Car, no lançamento da categoria. Ficou na Stock Car até 1986. “Corríamos com carros com motores de seis cilindros de 4,1 litros”, explica Francisco Carlos Gimenez, o Chiquinho, que também participou de provas das Mil Milhas correndo com um Opala.
1980 – Em 1980 surgiu o Diplomata, top de linha, que três anos depois ganharia câmbio de cinco marchas.
1990 – Em 1990 chegou ao mercado o Opala com motor de 4,1 litros, também com versão a álcool. Um protótipo monobloco do Opala foi usado de 1990 a 1993, quando deu lugar ao Omega. Hoje, a categoria usa Tubular Astra Sedan, Mitsubishi Lancer, Volkswagen Bora e Peugeot 307 Sedan.
1992 – Em abril de 1992, com a abertura do mercado brasileiro para os carros importados, a produção do Opala foi encerrada.

Gostou de relembrar um pouco da história do nosso saudoso Opala? Comente o que achou e compartilhe essa notícia com seus amigos.

One Response to “Sessão Nostalgia CVC Chevrolet: 20 anos sem Opala”

  1. JOAO JOSE BARBOSA DE ARAUJO disse:

    PARA MIM, O OPALA FOI O CARRO MAIS LINDO QUE A CHEVROLET JÁ LANÇOU. E DE PREFERENCIA, O DE SEIS CILINDRO(4.100) DUAS PORTAS. QUE PENA QUE JÁ SAIU DE LINHA. AGORA TENTO ENCONTRAR UM USADO, MAS OS PREÇOS AINDA ESTÃO ALÉM DE MINHAS ECONOMIAS. POIS JÁ TIVE DOIS QUANDO NÃO ERAM TÃO CAROS. ATUALMENTE, O MEU CHEVROLET É UM COBALT -2013, MAS UM OPALA DESSES TIPO 72, VALE MAIS DO QUE UM COBALT. UM ABRAÇO !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *