Como o freio do carro funciona?

Entre os diversos sistemas que compõem um carro, o de frenagem está entre os mais importantes e essenciais.

Responsáveis pela segurança dos ocupantes e também dos pedestres é fundamental manter os freios em boas condições, com manutenção em dia.

Mas você sabe como os freios funcionam e como mantê-los em bom estado?

Freios

 

Funcionamento do freio

O sistema de frenagem funciona, basicamente, através da conversão de pressão mecânica em hidráulica, isto é, da conversão da pressão que se faz no pedal de freio, em pressão hidráulica dos fluidos do sistema, pressão esta utilizada na frenagem das rodas.

Em detalhes, o sistema funciona por um circuito fechado de fluidos que vai desde o cilindro mestre, ligado ao servo freio e pedal de frenagem, até os cilindros ou pinças hidráulicas, ligadas às rodas, por meio do qual se transmite a pressão no pedal para as piças, responsáveis pela frenagem.

Para que a frenagem aconteça, o primeiro elemento acionado é o pedal, elo entre o condutor e o veículo.

O pedal é o dispositivo pelo qual o condutor aplica a pressão inicial necessária ao funcionamento de todo o sistema, pressão essa a ser transmitida para o cilindro mestre.

Entre o pedal e o cilindro-mestre, todavia, fica localizado o servo freio. É ele o responsável por ampliar a força aplicada pelo motorista no pedal, aliviando o esforço que ele deve fazer na frenagem, para, então, repassar a resultante para o cilindro mestre, onde fica o fluido de freio.

É no cilindro mestre, portanto, que a força mecânica da pressão no pedal, aumentada pelo servo freio, é transformada em pressão hidráulica. Essa transformação se dá com a ajuda de pistões que recebem a força mecânica para pressionar o fluido espalhado por todo o sistema.

A maioria dos sistemas atuais utiliza cilindros mestres duplos, isto é, com dupla câmara ou estágio, cada uma responsável por um par de rodas.

Tipos de freios

Para que a frenagem aconteça, a pressão hidráulica gerada no cilindro mestre deverá ser repassada às rodas.

Esse repasse se dá por meio de tubulações preenchidas com o fluido de freio. Todavia, a etapa final, de comunicação com as rodas, será diferente de acordo com o tipo de sistema adotado, seja ele a disco ou a tambor.

O primeiro e mais antigo sistema de frenagem utilizado nos carros foi o sistema a tambor. Com o passar dos anos, os modelos com freios a tambor passaram a ser substituídos pelo sistema a disco, por este ser mais simples, pois utiliza menos peças, e também por ser mais eficaz.

Mesmo com a substituição progressiva, ainda é comum nos dias de hoje encontrarmos modelos comercializados com o sistema a disco nas rodas dianteiras e a tambor nas traseiras.

Sistema a disco ou a tambor

Apesar de utilizarem peças diferentes, ambos os sistemas trabalham sob mesmo princípio, isto é, utilizar a pressão hidráulica gerada no cilindro mestre para criar o atrito necessário à desaceleração das rodas e, consequentemente, do próprio veículo.

freios imagens

No caso do freio a tambor, um cilindro hidráulico recebe a pressão do sistema  para encostar as lonas, presas às sapatas, contra a superfície interior do tambor, gerando o atrito necessário para a frenagem.

De outra maneira, no freio a disco, é uma pinça hidráulica que recebe a pressão do sistema para pressionar pastilhas contra a superfície do disco em movimento, gerando o atrito.

Apesar da simplicidade dos mecanismos, eles, sozinhos, não são perfeitos, podendo ocorrer travamentos e perdas de estabilidade. Com a evolução da tecnologia e da engenharia automotiva, a frenagem passou a contar com elementos adicionais de segurança, como o controle eletrônico de estabilidade, os freios com ati-travamentos e outros elementos correlatos, deixando-o estável, mais rápido e, sem dúvidas, muito mais seguro.

Manutenção

Para manter tudo funcionando com segurança é importante checar o sistema a cada 10 mil quilômetros rodados, realizando as trocas necessárias, seja das pastilhas ou, mais adiante no uso, das próprias lonas.

Se você mantém as revisões nos prazos previstos no manual do proprietário, fique tranquilo, a Chevrolet cuida desse importante sistema com prioridade, seguindo as regras de manutenção previstas nos momentos adequados, de forma a manter a durabilidade das peças e a garantir a sua segurança, a de todos os ocupantes do veículo e a de pedestres.

Agende sua revisão aqui na CVC Chevrolet pelo nosso site. Para ler mais notícias, acesse www.blogdacvc.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *